Para sempre

Foto: Flávio Soares

*Cláudia Bengtson

Quisera pudesse reescrever a história do mundo
Enviaria cartas a todas as pessoas e perguntaria a elas 
O que elas gostariam de reinventar
Colecionaria fotos de casamento
De momentos felizes com as crianças
Seria tudo tão lindo e singelo 
E observaria mais o céu para ver se o sol está escondido atrás das nuvens
Só para brincar de mandar chuva mais tarde
Observaria mais a beleza das flores e olharia para o horizonte
Lentamente, sem nenhuma pressa
Para ouvir a voz que vem de dentro da minha alma
Ah se eu pudesse recriar nossas histórias
E tirar da terra toda a fertilidade que ela tem para me oferecer 
Eu geraria muita luz e muito amor
Amor que seria tão grande, mas tão grande que mal caberia dentro do peito

Quisera pudesse reescrever a história do mundo
Como quem prepara um roteiro de um filme com final feliz
Apagaria todas as guerras e acabaria com a fome
Não existiria o abandono, nem tampouco a solidão
Seríamos um só abraço e celebraríamos juntos cada vitória
Caminharíamos sempre de mãos dadas
Porque essa vida sem amor não presta 
Não tem sentido, nem significado
O amor tudo pode
Ele é capaz de amolecer os corações mais duros
E de colocar vida onde a vida já não tem esperança
O amor não conhece limites
É a maior força que pode existir nesse mundo
A maior de todas as forças

*Cláudia Bengtson (51, quase 52), jornalista há 30 anos e bailarina amadora há 7. Idealizadora do Projeto de Ballet Adulto Bailarinas Por que Não?! e apaixonada por escrever desde menina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *