Inveja do tédio

Renata Varandas escreve sobre a inveja do tédio
Foto: Arquivo pessoal

*Renata Varanda

Sei que inveja é um sentimento socialmente não aceito, mas eu tenho, principalmente neste momento. Inveja de quem já arrumou o guarda-roupas, o armário da cozinha, aprendeu uma receita nova ou pregou uns botões neste período de isolamento.

Estou com inveja de quem zerou as séries do Netflix, assistiu aos filmes do Oscar que faltavam, começou a ler aquele tal livro que tanto queria.

E quem aproveitou pra fazer chamadas de vídeo com todos os amigos, aqueles que não falava há tempos por falta, justamente, de tempo? Ligou também para a prima que mora em João Pessoa ou pro tio-avô na Austrália?

E aqueles que fizeram uma faxina na casa? Arrastaram a cristaleira e limparam dentro do fogão? E ainda aproveitaram pra fazer uma limpa no celular? Apagaram fotos que não retratavam mais a realidade atual e contatos que há tempos não faziam contato?

Me mordo de inveja de quem conseguiu cuidar da alimentação, malhou regularmente com galões de água e amaciante, bebeu pouco álcool e muita água.

E quem ia regularmente pra debaixo da janela dos pais, avós, dar um tchauzinho pra matar a saudade, mesmo sabendo que saudade não se mata à distância?

Teve gente que fez até yoga. Meditou. Virou vegano. Budista. Eremita.

Que inveja dessas pessoas que souberam levar essa quarentena assim. Eu não soube. Não li um livro sequer, nem o prefácio.

No meu armário houve um abalo sísmico de grandes proporções que deixou tudo fora da lugar. Talvez nunca mais ele se recupere.

Na minha cabeça também teve um terremoto. Não meditei. Não me centrei. Não cuidei da mente, nem do corpo. Enlouqueci um pouco a cada dia.

Em comum com os entediados, tenho a tristeza. Todos nós estamos, com ou sem armário arrumado. Estamos exaustos, seja de ficar em casa, seja de trabalhar arduamente.

Quando tudo isso passar, espero que eu tenha uma quarentena. Quero me isolar do mundo.


*@revarandas é colunista do Vida de Adulto, escreve às terças-feiras, duas vezes por mês.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *