Ninguém planeja levar um caldo

Paulo Pimenta no Vida de Adulto
Foto: Arquivo pessoal

*Paulo Pimenta

Esta foto, claramente, não é de hoje. Nem de ontem. Mas é de pouco tempo atrás. Embora estivesse com os pés na areia, usava uma roupa de todo dia — de terça a quinta, roupa social. Às vezes, segunda e sexta também. Nesse dia, que era um sábado, o vinco bem passado da calça não era para o trabalho, era para celebrar a união de dois afilhados.

Como disse, esta foto, claramente, não é de hoje. Mas me lembrou que nos últimos cinco meses e meio usei roupa de praia para trabalhar. Por vezes, tomei sol com o computador no colo enquanto escrevia. Participei de reuniões com camisa regata. Só não troquei os óculos de grau pelos de sol — não precisou. Nesses dias, que não eram sábado, o canto da sereia passou a ser: “Não ouvi o que você disse, você está travado para mim”.

Esta foto que, não sei se disse, mas, claramente, não é de hoje, não tem nada demais. É só que estava vendo umas fotos antigas e me lembrei de que há algum tempo deixei de fazer planos na virada do ano.

Passei a não colocar metas que não dependessem apenas de mim. Faz uns anos, escolho uma só coisa que eu queira muito e pronto(!), deixo que a vida se desenhe.

No ano retrasado, decidi que viajaria sozinho pela primeira vez. No ano passado, resolvi que finalmente entraria para o sapateado. Para este ano, o plano era aprender a surfar. Tomei a decisão e fiquei quieto, sem contar para ninguém, com medo do tempo fechar. E fechou. A onda que peguei foi outra. Todos sabemos como essa maré subiu e o que trouxe para nós. Tomei um caldo e continuo me esforçando pra dar pé dentro do mar (não quero me afogar). Daqui a pouco o tempo abre e eu volto a usar roupa de praia na praia de novo, não mais em casa.

Nem sei o porquê de ter escrito tudo isso, mas esta foto, que, claramente, não é de hoje, fez a água ficar mais quentinha por um tempo aqui.

Pode ser que amanhã esfrie de novo, que chova, que o sol volte mais forte que nunca… Faz uns anos que tento não planejar e cinco meses e meio que tenho certeza de que não temos controle de nada. Sigo caminhando, de vez em quando olho para o lado, mas sigo sempre em frente. O próximo passo ninguém sabe qual. Amanhã ninguém sabe o quê. Só sabe que será diferente.


*@pimentapaulo observa e fala na mesma proporção. Conversa sobre relacionamentos mais do que a maioria da população. Aquariano com ascendente em Áries, gosta de mudar de ideia e só escreve aquilo que teria coragem de dizer em voz alta — cartas olham, sim, nos olhos (desculpa, Roupa Nova).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *