Laços de amor

Luciana José Brito no blog Vida de Adulto
Foto: Arquivo pessoal

*Luciana José Brito

Se tem algo que não pode ser tirado de nós são os laços de amor e as amizades verdadeiras que construímos ao longo da Vida. Quando meu pai sofreu um AVC, ele foi encaminhado para a UTI. Lá, ele ganhou um número, aquele era o paciente do leito número tal… seu João.

Ele não respondia por ele, estava inconsciente. Então resolvi escrever uma carta e coloquei na parede do leito. Dizia:

— Oi! Me chamo João, sou dentista aposentado, tenho dois filhos, netos… Coloquei ali o que ele gostava de fazer, onde morava.

Fui a voz dele, desejei que meu pai fosse tratado como um homem que amava viver, que tinha objetivos, metas de vida e precisava sair dali!

O AVC dependendo do grau e da extensão da lesão pode te tirar muita coisa, não só a parte motora, mas a parte cognitiva que envolve a memória. Então seus títulos, como: doutorado, mestrado, especializações, simplesmente podem sumir da memória, a identidade pode se perder.

Aí entram os laços de amor. Aquelas pessoas que você tratou bem, se importou, se doou, amou, são essas pessoas que irão te ajudar a reconstruir a sua identidade.

Por isso, meu conselho para quem verdadeiramente ama:

Cuide como gostaria de ser cuidado, ame como gostaria de ser amado, a vida te retribui de forma surpreendente.


*Eu me chamo @luciana612, sou advogada, mãe de duas crianças, esposa e amante da escrita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *