Riscos e rabiscos que me fazem viver

Foto: Arquivo pessoal

*Felipe Oliveira

Como é belo poder transmitir uma pequena história de nossa vida para o próximo. Nossa vida de adulto é cheia de altos e baixos onde aprendemos a dar valor a muita coisa. Hoje, eu, Felipe, passo por um tratamento de depressão e ansiedade, uma doença que todos já dizem: “a doença do século”. Também ouço que isso é besteira, é preguiça…

Não é nada disso. Digo isso pois passo na pele diariamente. Tantas vezes querer fazer algo e não conseguir, sabe por quê? Porque nada está em meu controle. Posso estar bem aqui agora escrevendo este texto e, em minutos, eu paro e mais nada consigo fazer. Pode até soar como engraçado, mas não é!

Como fazer para amenizar isso tudo dentro de mim? “Fazer algo que muito me completa desde muito tempo.” Desenhar, pintar, escrever. Sei o quanto é difícil mesmo que seja por segundos ou minutos. Mas já faz toda diferença. Pode parecer bobo tudo isso, mas o quanto faz sentido pra mim ver esses segundos ou minutos como total vitória contra mim mesmo.

Essa conexão entre mente, coração e mãos é muito forte. Ser Manual é se entregar ao processo, é permitir que o acaso e a intuição te levem a caminhos inesperados, com resultados muito verdadeiros.

A arte me arranca dos meus meus abismos onde me vejo todos os dias. Muitos podem dizer: “Que coisa pequena”. Mas para quem vive essa doença tudo se torna uma grande vitória. São estes RISCOS E RABISCOS que me fazem viver dia após dia.

*Sou Felipe Oliveira, 30 anos, apaixonado pela vida, pela arte onde me encontro com o meu EU. Em meu tempo livre, gosto muito de ler, ver filmes repetidos e desenhar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *