Confinamento

Mulher jovem reza com as mãos juntas
Foto: Istockphoto

Por Luciana Galdino*

Hoje estou no 5° dia de confinamento. Revisitei um livro: O Diário de Anne Frank. Uma adolescente que viveu confinada por mais de 2 anos com a sua família na Alemanha, durante a Segunda Guerra Mundial. Ela dizia: “Se ficarmos sempre melancólicos não adianta nada, nem para nós nem para os que lá fora sofrem”.

São muitas mensagens no celular. Umas esclarecem sobre a doença e dão orientações pertinentes ao momento, mas outras incitam a população ao desespero. Parei de ler. Sigo em oração!

Ontem, o quarto escuro, a música instrumental Yesterday dos Beatles tocava para a minha bebê dormir. O dia chegando ao fim. A minha cabeça pesava. Senti as lágrimas quentes rolarem. Somatizei. Somatizamos. Estar em casa “seguro”, não é tão confortável. O sentimento é impotência. Ressignifico a todo momento e entendo que isto é solidariedade.

Assim como acontece com você, meu coração também tem doído. Mas não deixo esta dor tomar conta de mim. Leio, assisto filme, faço comidas diferentes, danço, olho fotos antigas, brinco de bolhinhas de sabão com a minha filha, arrumo o armário e elimino os excessos. Muitas chamadas de vídeo. Faço meu dia ter brilho, ter sorrisos, ter amor e compromisso com o outro.

Te peço de coração, ao abrir os olhos agradeça por mais um dia. Ligue para dizer te amo. Lembre de algo engraçado que viveu com um amigo. Ligue pra ele e coloquem as gargalhadas em dia. Em tempos de redes sociais e App, ligação é um presente.

Se alimente de forma saudável. Tome um chá de erva cidreira antes de dormir e evite as notícias neste horário, para que a insônia não seja sua companheira. Busque o que te faz sorrir, o que te dá prazer. Escreva. A escrita tira da mente algumas inquietações. Leia. A leitura fará você viajar para lugares incríveis. Ocupe a sua mente, cuide dela com carinho.

Hoje acordei me enchi de fé, tomei um café bem delicioso. Agradeci. A minha filha gritou: “Mamãe tem Sol, o dia nasceu, tá lindo”. E eu disse: “Então vamos aproveitar!!” Da nossa varanda é claro.

Muitos dias ainda estão por vir. Comecei a escrever estratégias para continuar a sorrir….Tenho certeza que Anne Frank estaria orgulhosa de mim.

*Meu nome é Luciana Galdino criei o @esposadotrecho no Instagram com a intenção de fazer conexões através da escrita sensível e abraçar todas as pessoas, que assim como eu, vivem longe das suas raízes. Saí da Bahia há 9 anos e vivemos mudando de acordo com as transferências da empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *