Carta para quem vive o luto devido à Covid-19

Foto: Depositphotos

*Sabrina Martins

Eu escrevo essa carta porque sinto que você, mesmo que não saiba, precisa de uma palavra para acalmar, ao menos um pouco, essa bagunça na sua mente e essa aflição em seu coração.

A vida por si só já é tão difícil, não é? Tanta luta, obstáculos… Nada vem de graça. Você já sofreu muito. Esse mundo parece tão injusto. Como se não bastasse tanta provação, a maior delas chega a sua casa. É tanta informação que não há tempo para assimilar. Os noticiários te apresentaram a esse mal e esse mal se apresentou a você. O que amedrontava de longe, apavorou de perto. O ladrão bateu a sua porta e levou seu bem precioso.

O luto é bravo, mas um luto como esse é feroz.

Mãos atadas, não se pode fazer nada. Mil notícias, correria, falta de respostas e quando uma certeza vem é a que você mais temia.

Agora, paralisado(a), você pensa em como tudo poderia ser diferente, na realidade incoerente e na despedida quase inexistente. Resta um vazio, medo, dor, tudo isso em meio ao isolamento pela pandemia e ao isolamento da sua mente que atônita, nada consegue processar.

A sua dor se une a de milhares de pessoas nesse momento. Não que isso sirva de consolo, mas mostra que esse mal não é seletivo. Você não foi escolhido(a) para viver isso tudo. Aqui nós veremos e viveremos aflições. Deus não deixou de te amar em nenhum minuto. Tudo o que não entendermos será elucidado por Ele, no tempo certo.

Eu oro para que você entenda que todo esse sofrimento um dia vai cessar.

Se tem promessa, tem graça. Se tem fé, tem vitória. E não pense que a morte é o fim da estrada, ela é só o começo. Deus é bom e poderoso e guarda recompensas para os seus. Não precisamos ver isso aqui na Terra, porque teremos uma eternidade inteira para nos deleitar e poder finalmente ver o jogo virar. Segue firme, o que é seu está guardado e vai honrar a sua espera.


*Minha formação é engenharia mas decidi exercitar mais o lado direito do meu cérebro. Encontrei-me na escrita. Sou uma filha única que perdeu a mãe e decidiu unir sua força e suas dores à de tantos que também vivem o luto. Sou @sabrina__martins do @reflexaonoluto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *