Pandemia, maternidade e trabalho

Thaise Brasil no blog Vida de Adulto
Foto: Arquivo pessoal

*Thaise Brasil

2020 foi um ano desafiador para a humanidade, exigiu demais de todo mundo, impôs mudanças e nos mostrou que a vida é, de fato, imprevisível. Para as mães foi ainda mais complexo, gerando uma série de dúvidas e escolhas constantes, especialmente com o retorno das aulas. Optei pelo retorno. Passou voando, foi rápido, nem senti. Ele trouxe uma sensação de normalidade, de que podíamos voltar ao momento em que tudo mudou. Mas sabemos que não é bem assim.

A escolha do retorno veio cheia de dúvidas, de oscilações sobre o que fazer, o que será o melhor? Teve também julgamento, dos contrários, e olhos inquisidores dos que não querem opinar. Infelizmente nem todo mundo tem a mesma realidade. Alguns têm rede de apoio, outros têm apenas a si mesmos. Voltar pareceu a opção mais segura, o ambiente mais controlado e uma forma de devolver aquela sintonia de antes.

Estamos bem. Minha exaustão da função de mãe, dona de casa, profissional ficou um pouco mais leve.

Segue corrida, mas seguimos tentando, enfrentando os medos e angústias diárias, afinal, viver é isso.

Espero ter feito a escolha certa, mas também certa de que na maternidade não existe certo e errado, existe a nossa impressão de certo para aquele momento. Ser mãe na pandemia é pior e também melhor. É saber que estamos vivendo ao máximo, é dar valor ao que temos e apreciar o fato de sermos família, estarmos em família. Afinal, se é difícil ser tantas coisas em grupo, é pior ainda ter sido tanto, e agora ser pouco e só.


*@thaisem é jornalista gaúcha que mora em Brasília há 5 anos. Agora, aos 35 anos, mãe de uma menina linda de dois anos e experimentando a vida adulta sem rede de apoio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *