Falta-me fé e me sobra esperança

Dalila L. no Blog Vida de Adulto
Foto: Arquivo pessoal

*Dalila L.

Às vezes é preciso silenciar a voz do mundo e de todos, todos os ruídos que se misturam com aquilo que sua voz interna e tão cheia de sabedoria quer lhe dizer. Oi, intuição!

Ás vezes se faz necessário fechar as janelas para que o sol volte a arder e brilhar, te lembrando quem você é do lado de dentro. O caminho do meio sempre foi difícil para mim, não saberia dizer um motivo pelo qual não consiga percorrê-lo. Talvez seja a minha intensidade de ser sempre tudo ou nada.

Sempre foi assim para chocolates e paixões. Eu nunca soube experimentar! Sempre acabo me lambuzando ou acabo recusando, não saberia lidar com a ideia de provar…

Hoje quando abri os olhos, não poderia imaginar que teria que me despir do meu ego de uma forma nada sutil. Teria que buscar um perdão que venho me negando há tanto tempo e que venho buscando de forma exaustiva no outro.

Só quando validamos esse perdão como uma forma de autocuidado é que podemos desatar o nó que nos impede de caminhar rumo a um caminho mais consciente de si e do outro. Quem é livre, deixa o outro ser livre, quem é pleno, não se assusta com a plenitude do outro.

Hoje eu me perdoei pelos erros e tropeços e não me vesti da ilusão que não irei mais errar.

Entendi que olhar com amor para a minha estrada me liberta da âncora pesada que me faz pensar que sou incapaz de fazer diferente em uma próxima vez.

Hoje eu descartei a culpa, peguei apenas a responsabilidade que me cabe, saí da posição de vítima, aceitei meus erros e não me encolhi! Perdoei. O mundo não precisa mais de pessoas culpadas, feridas, adoecidas na inércia que a sensação de culpa nos traz. Precisamos de coragem para transformar. Ser revolução.

Eu estou em RE-construção. Começo de um ponto neutro. Estou recuperando a energia que gastei me punindo e repetindo inúmeras vezes que eu não merecia amor, simplesmente por ter errado, por tantas vezes ter amado sem ter pego o caminho do meio…


*@lepesqueur_dalila, do @calma_crua_, é ariana, intensa. De tanto se perder, fez morada nela mesma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *