Chuva de saudade

Roberta Elpidio escreve o texto Chuva de saudade no Blog Vida de Adulto
Foto: Arquivo pessoal

*Roberta Elpidio

Nas minhas viagens, era bem difícil escolher sua lembrancinha. Talvez devido à sua sinceridade exacerbada, que não escondia quando não gostava de um presente – mas que eu sabia que era a sinceridade que só se tem com quem se ama.

Por isso, eu sempre te comprava uma sombrinha. Não tinha erro: você até já pedia para eu trazê-la e ficava tudo certo. Ao longo dos anos, foram várias: uma branca, toda escrita em dourado “Paris, Paris, Paris”; outra extravagante, com o Cristo redentor; uma de listras e bolas vermelhas e azuis; outra com o cabo de menininha, e a que você mais gostava: uma toda verde, que quando se abria, era como se o Central Park de Nova York se arqueasse sobre nossas cabeças.

Na última viagem que fiz, já não tinha mais você me esperando, mas foi impossível não pensar no que compraria para você – e, claro, não me lembrar das sombrinhas.

Vi inúmeras, sei que passaria um bom tempo escolhendo a que levaria e imaginando qual seria sua preferida, qual iria te proteger mais do sol – já que era essa a real finalidade do presente.

Dessa vez, não comprei nem uma sombrinha. Aliás, sequer quis olhar muito para elas, porque me dei conta de que, na verdade, agora quem precisa de proteção sou eu.

Eu é que preciso me proteger da enorme tempestade de saudade que me atinge, e para a qual não há capa de chuva, bota, sombrinha ou porta de restaurante que dê jeito. Não há como escapar da chuva de saudade que cai sobre mim, porque minha maior proteção, mãe, era o seu coração.


@betaelpi é ortodontista há 23 anos, casada, mãe de dois filhos, apaixonada por pessoas, histórias e sorrisos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *