Reencontro afetuoso – mãe e filha

*Marlene Albuquerque

Um mês após o teste positivo de Covid-19 da minha mãe, e já curada, ela tomou a primeira dose da vacina. Mas foi muito mais que “a vacina”, foi uma dose de ESPERANÇA.

Era um domingo iluminado pelo astro sol e, num misto de ansiedade e alegria, minha mãe me abraçou emocionada e disse que era o momento de voltar para sua casa após um mês que ficou comigo para os devidos cuidados que o tratamento exigia. Mas, antes de ir, pediu para passar na praça das flores pois queria levar uma planta para casa.

Solicitou à vendedora uma que gostasse de sombra e fosse fácil de cuidar. Pediu também minha opinião e acabou escolhendo uma jiboia – essa lindeza da segunda foto. Enquanto arrumava seus pertences para voltar para casa, falei: “Mãe, fica mais uns dias!”.

Ela agradeceu e disse que estava com saudade do cantinho dela e de sua rotina, mas que voltaria com mais frequência para me visitar, porém, agora de forma mais calma e sem pressa de ir embora – ela nunca curtiu dormir fora de casa e sempre gostou de fazer visitas rápidas.

Lembrei-a da planta, que eu havia colocado na janela para pegar um ventinho. Ela olhou para mim e disse: “É sua, senti no meu coração de te dar”. Fiquei surpresa e feliz, e desconfio que ela já estava planejando isso desde o momento que pediu para ver umas plantinhas (lembrei do “fácil de cuidar”). E como todas as minhas plantas têm nome, essa não poderia ser diferente.

Tal qual o início do domingo ensolarado, agora também tenho para iluminar meu lar e meus dias a jiboia ESPERANÇA, que está pertinho para sempre me lembrar desse mês que passamos juntas, que foi um reencontro depois de quase vinte anos que saí de casa para ter a minha casa. E que reencontro delicioso!


*Marlene Albuquerque é formada em jornalismo, apaixonada por livros, palavras e pessoas. Mãe, filha, irmã, neta, amiga, dentre outros. Ariana com ascendente em câncer, que mescla a coragem ariana com a doçura canceriana, e está sempre em construção. Compartilha seus versos e escritas no perfil do instagram @reticenciasdoamor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *