E se mamãe tivesse me deixado?

Iva França pergunta: E se mamãe tivesse me deixado?
Foto: Depositphotos

*Iva França

Quando nasci, não teve aquela festa de comemoração da primeira filha, muito pelo contrário, o pai se fez de desentendido e a mãe chorou três dias sem parar. Passado esse tempo e o barrigão já estava quase a explodir, cheguei sem intervenção cirúrgica, porque eu tinha pressa e vim à caminho do hospital, no ônibus mesmo.

Depois de ter sido socorrida, minha mãe com aguaceiros nos olhos me perguntou, com algumas horas de vida: E se eu deixar você aqui para uma família de verdade te criar? Isso aconteceu há vinte e três anos.

Ela caminhava comigo enrolada nos panos do hospital. Ninguém foi nos buscar, então, não tinha outro jeito senão andar sem direção. Mamãe com catorze anos e eu, um dia. Não havia muito o que esperar. Mas quis a vida que nossa história fosse diferente…

‒ Ei menina, por que chora tanto, onde está indo com esse bebê? – perguntaram simultaneamente.

‒ Para lugar nenhum, doutor. Não posso voltar para casa com ela. – respondeu de cabeça baixa.

‒ Cadê sua família, o pai da criança?

‒ Nós não temos família.

Os dois trocaram olhares. Minha mãe percebeu o tanto de dó que tiveram de nós, porém não nos trataram como coitadinhas. Perguntaram se estávamos dispostas a viver na casa deles. Se havia alguém com quem poderiam falar sobre essa oferta. Eram muitas perguntas que logo foram esclarecidas.

Ela respondeu meio cabreira:

– Sou Lola!

Na verdade, nada a afetava, nada a causava pânico, apenas queria sentar em algum lugar para amamentar a sua bebezinha. As coisas aconteceram bem depressa. Foi tudo arranjado. Ganhamos uma família. Eu cresci com dois pais e minha mãe. Ganhei um registro e mamãe também. Como ela era menor de idade, foi recebida em adoção.

Essa vida é muito enigmática. Minha mãe não tinha mãe, mas agora tinha dois pais. Eu tenho ela, que é minha mãe e, tenho dois pais que parecem mães também, de tanto que cuidam de nós. Hoje mamãe tem 37 anos, meus pais, bem… eles são um pouco mais velhos que a mamãe. E se a mamãe tivesse me deixado?


*Iva França, do @poemaemflor, é Mestra em Literatura Portuguesa e Doutoranda em Estudos Literários, Culturais e Interartísticos, professora, Escritora e Poeta. Lançou seu primeiro livro de poesias em 2013, tem participação em antologias diversas e preparar-se para lançar o livro de poesias “Caderno de Rascunhos” e o de conto “Lola: todas as mulheres”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *