Prisão invisível

Ricardo Faria escreve sobre obesidade e os 70 quilos que perdeu
Foto: Arquivo pessoal

*Ricardo Faria

Ela existe e é aquela que te cala, sufoca, oprime e te rouba anos de vida. E foi assim, preso em meus tristes sentimentos, angústias e dores na alma que eu vivi.

A obesidade, silenciosamente, destrói a alma e a gente só percebe quanto já está no fundo do poço. Demorei muito tempo para reconhecer que a vida toda me enganei! Aquele cara alto-astral que todos viam, na verdade sempre mascarou uma tristeza e uma profunda dor na alma, com uma falsa alegria.

Não tenho vergonha de assumir minhas fraquezas, mas a verdade é que a obesidade e as suas consequências psicológicas me tiraram bons anos da vida!

Eu queria ter vivido mais intensamente coisas que toda pessoa “normal” vive, eu queria ter tido mais namoricos de adolescência, tido a coragem para me declarar para aquela menina da turma da escola que gostei, coragem e a confiança para encarar as pessoas que me tratavam diferente por não ser “dentro dos padrões”.

Hombridade para responder à altura as várias vezes em que eu fui diminuído como profissional por não ser mais “apresentável”. Lá atrás eu queria ter tido forças para enfrentar o mundo com a mesma coragem que hoje escrevo e exponho as minhas angústias!

Mas hoje eu sei que não é só força, é entendimento que eu não tinha para enfrentar tudo! Mas me livrei das amarras e, mesmo após mais de setenta quilos eliminados, ainda tenho reflexos dessa vida passada, por isso hoje eu ainda sigo tratando das minhas dores, essas mais complexas, na alma!

São feridas que eu não sei se um dia irão curar totalmente, mas sei que existem e precisam de cuidadas, eu estou evoluindo! Mas o mais importante é a gratidão! Se há pouco mais de um ano eu “morri” hoje posso dizer que estou renascendo para uma vida incrível!

Hoje eu tenho forças e coragem para lutar e viver plenamente tudo que sonhei, já a prisão invisível, aquela que me subjugava, me diminuía e que aniquilou com vários momentos e sonhos, essa eu não vivo mais, estou livre e feliz, graças a Deus.


*Me chamo @ricardocfaria , tenho 34 anos e sou escritor desde o nascimento e jornalista há 12 anos. Atualmente sou produtor na Record TV do Distrito Federal e fotógrafo nas horas vagas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *