Em busca dos nomes de meus avós e bisavós

Juliana Ribeiro no Blog Vida de Adulto
Da esquerda para a direita, Sebastião e Carmelita, avós maternos, e Mariana e Antônio, avós paternos (Foto: Arquivo pessoal)

*Juliana Ribeiro

Você sabe o nome de seus oito avós e bisavós maternos e paternos? É a pergunta feita pelo @mongegensho nesse vídeo abaixo. O que pareceria mais uma distração do Tik Tok, me fez pensar no quanto a vida é breve e sem memória.

Concluí que meu nome será esquecido assim como eu esqueci (ou nem conheci) os nomes dos meus avós e bisavós. Então decidi fazer minha árvore genealógica (tudo começou com a amiga @maraschuster enviando o vídeo em um grupo de Whatsapp).

A busca por meus antepassados desencadeou uma pesquisa familiar que envolveu mãe e tias.

Ao longo da última semana, foram várias ligações interurbanas, pesquisa de documentos antigos e muita conversa.

Minha mãe, finalmente, conseguiu fechar a lista de nomes que somente os mais velhos conheciam, até agora. Descobri sobrenomes que se perderam no tempo porque não foram dados a nenhum dos descendentes.

Que tal se eu me chamasse Juliana… Policarpo, Farinha, Lemes, Carneiro, Costa, dos Santos, de Lisbôa? A lista é grande, mas vale destacar os primeiros nomes de cada um deles:

Avós maternos: Sebastião e Carmelita.
Bisavós maternos: Manoel e Rita, José e Maria.
Avós paternos: Antônio e Mariana.
Bisavós paternos: João e Antônia, José e Eulália.

Tento imaginar como eram fisicamente. Não tenho fotos dos mais velhos.

Infelizmente, convivi apenas com meu avô materno. Minha avó materna morreu quando eu ainda era criança. Muito vagamente, tenho uma lembrança única de uma bisavó.

A mensagem do vídeo que me inspirou é clara: Não se deem tanto valor. Aproveitem a vida. Seremos, inevitavelmente, esquecidos, como nossos avós e bisavós.

Mesmo assim, gostei de escrever e pronunciar seus nomes. Me pergunto o que gostavam de comer, de fazer nas horas vagas? Que sonhos queriam realizar e não conseguiram? O que pensariam desta lista que fiz? Nunca vou saber.

@obudismo

Não dê tanta importância! #budismo

♬ som original – obudismo

*@julianaribeiro_blog é uma das fundadoras do Vida de Adulto. Escreve às quartas-feiras, duas vezes por mês.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *