Fotografias que revelam

Mia Koda escreve sobre o significado das fotografias
Foto: Arquivo pessoal

*Mia Koda

Espalho fotos pelo tapete, me acomodo no chão como há muito tempo não fazia e deixo de lado uma xícara de chá. É que faz bem tomar algo quente nessa manhã fria de julho.

Enquanto tento organizar o velho álbum, de acordo com a época em que as fotografias foram tiradas, mergulho no passado e, num repente, sou invadida pela compaixão.

Entendo que naquelas fotografias existem mais sentimentos do que simples momentos, registradas pelo olhar atento de quem as tirou, eu vejo a dor e o amor.

Ao ver velhos retratos, percebo algo no olhar de cada gente minha que não podia ver antes. Tristezas, mágoas e frustrações, são agora muito evidentes. Assim como as esperanças, as alegrias e o desejo de fazer o melhor, também se tornam claramente captados.

No sorriso de minha mãe, vejo o medo de não ser boa o suficiente; no olhar do velho pai, vejo a preocupação com a falta de certas coisas que crianças precisam e na alegria de meus irmãos, noto a esperança de meninos inocentes e cheios de sonhos.

Numa foto antiga e de pouca qualidade, compreendo a luta de uma família, cada roupinha velha me mostra o quanto a vida era difícil, essas mesmas roupas surradas, lavadas e bem passadas, me fazem lembrar do cuidado recebido, onde mesmo com pouco, o pouco era oferecido com carinho.

Quando a gente olha para o passado, com olhos atentos para os sentimentos, percebemos que cada pessoa fez o que podia e fica mais fácil oferecer amor para aqueles que antes a gente só lembrava com ressentimentos.


*@mia_koda_escritora, psicanalista e escritora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *