Solidariedade na Era Coronavírus

Juliana Ribeiro

“Vamos sair melhores dessa fase”, “Seremos seres humanos mais evoluídos depois que isso acabar”. Quem já não ouviu uma dessas frases desde que o coronavírus começou a fazer “turnê pelo mundo”? A expressão é da cantora americana Cardi B e virou meme.

Desde que as notícias sobre a Covid-19 começaram, fiquei imaginando consequências devastadoras para os mais pobres, que não teriam o que comer, e no possível aumento de depressão e outras doenças. Infelizmente, esses problemas estão se confirmando, mas um ponto me surpreende todos os dias: a solidariedade.

Ações positivas têm brotado de todos os lados e algumas de maneira surpreendente por antes serem consideradas normais: atendimento psicológico gratuito“adoção de idosos”, distribuição de álcool em gel e apoio ao comércio local. Outros gestos de solidariedade são mais tradicionais e estão fortalecidos, como doação de cestas básicas e distribuição de refeições.

Algumas empresas também estão surpreendendo. Doações em dinheiro ou produtos e apoio operacional a uma variedade de ações de solidariedade e de saúde podem ser vistas por todos os lados. Podem até dizer que algumas empresas apenas querem aparecer na imprensa, mas acho que são minoria. O importante é que estão fazendo algo para ajudar.

O que me pergunto é o que vai ficar de tudo isso quando o vírus terminar a sua turnê pelo mundo.

Sairemos melhores ou mais evoluídos desse período? Isso não sei, mas acredito que uma grande parcela de nós estará mais consciente de que um pequeno gesto positivo pode mudar muita coisa.

Tenho certeza que essa consciência se manterá porque uma coisa é fato: ninguém sairá o mesmo de antes desse período de pandemia, independente da classe social e do nível de estudo. Será a hora de pensar e concluir o que ficou parado.

Quer um exemplo? Eu já me inscrevi para ser professora de cursinho popular em São Paulo, mas acabei desistindo por causa da dificuldade de locomoção até o local. Quem sabe agora, 15 anos depois, eu não retome esse desejo? Nunca é tarde.


@julianaribeiro_blog é jornalista, uma das fundadoras do Vida de Adulto. É natural de Goiânia, já morou em Brasília e, atualmente, vive na capital paulista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *