É tudo culpa minha?

*Carla Caroline

Muitas vezes nos pegamos pedindo “desculpas” e, devido ao hábito, nem entendemos bem os motivos que nos levam a isso. Sentimos culpa por não dar atenção suficiente aos amigos, aos companheiros, aos filhos e até mesmo aos animais de estimação.

Sei lá, tenho a sensação de que mulher nasce com uma “placa” escrito: “CULPADA” na testa e a carrega por uma vida.

Nos sentimos culpadas por conquistar uma posição de prestígio profissional, que exige que passemos menos horas com quem amamos ou que nos permite ganhar melhor. A culpa bate forte quando passamos horas fora de casa, felizes e longe da gritaria das crianças.

Sim, sentimos culpa por estarmos felizes sem filhos por perto. Afinal, crescemos acreditando que alguém do sexo feminino só é verdadeiramente pleno se estiver cercado da “família tradicional”. Ahhh… são tantos fardos em costas tão pequenas que as dores são físicas, emocionais e, em alguns casos, espirituais.

Há dias em que o cansaço bate e, adivinhem? Sentimos culpa por estarmos cansadas de ser apoio de tudo e todos. Queremos apenas colo, mas nos sentimos tão culpadas por não suportar, que decidimos sofrer em silêncio, adoecendo o corpo e a mente aos poucos, sem pedir ajuda. Afinal, sentimos culpa.

É a culpa que nos impede de publicar uma foto em um lugar bonito, mas que muitas vezes é inacessível a quem amamos. Culpa? Podem perguntar. Sim. O desejo era de que todos a nossa volta tivessem as mesmas oportunidades e as mesmas condições financeiras. Porém, não é bem assim. É preciso respeitar o nosso caminho e o caminho do próximo!

Existem tantas culpas escondidas em nós, que muitas vezes nos esquecemos do quão incríveis, sensíveis e amadas somos.

Coloco tudo no feminino, pois como mulher, sinto pesos trazidos pela culpa de querer ser boa profissional; de ter um tempo a sós; por decidir trabalhar ou estudar até tarde; por desejar passar o domingo deitada, lendo e dormindo, mesmo sabendo que existem outras pessoas para fora do quarto. Tem o meu autojulgamento e, óbvio, um julgamento social, vindo de uma cultura patriarcal, recheado de machismo e achismo.

E você, sente culpa do quê?


*@carlacaroline25 é colaboradora fixa do Vida de Adulto. Escreve aos domingos, duas vezes por mês.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *