Dos 38 aos 83

Renata Varandas no Blog Vida de Adulto
Foto: Arquivo pessoal

*Renata Varandas

Era para ser um texto de aniversário, afinal, amanhã eu trintaeoitarei ou serei uma tresoitona, quase quarentona que são os novos trinta, blá, blá , blá. Enfim… Já ouvi trinta e oito piadinhas sobre fazer 38.

Tento não pensar muito nisso: daqui a pouco tenho 40, mas impossível não pensar. 40 é muita responsabilidade. 40 tinha que estar tudo estabilizado: vida pessoal, profissional, financeira, espiritual. Com 40, a gente é pleno. Já viveu bastante e sabe o que quer. Já viajou muito, namorou, curtiu. 40 é diferente. Abre-se um portal milagroso e nada mais te atinge: você é adulto e adultos tem plena certeza da vida.

Mas este texto não é pra falar de 38, quase 40. É pra falar dos planos de quem tem 80, 90, 100.

A minha avó mesmo anda cheia de expectativas. Vacinou contra a Covid com a primeira dose e ainda escolheu em que posto iria se imunizar porque queria tomar a vacina A e não a B. Segundo ela, viu na minha matéria que uma era “mais eficaz” que a outra. Aos 83 anos, perguntei pra ela: “Quer fazer o que quando tomar a segunda dose, vó?” E ela, sem pestanejar: “Estou doida para ir em vários mercados pesquisar os preços”. Tem desejo mais realista que esse?

Uma amiga que tem a mãe “caduquinha”, como ela gosta de dizer, foi levá-la para vacinar. Mas fazer dona Angelina se levantar tem se tornado cada vez mais difícil. “Mãe, se a senhora se levantar eu compro cerve… Já levantou, mãe?” Dona Angelina levantou e vacinou. E ganhou cerveja. Com 92 anos, tem coisa melhor que cerveja?

O avô de um amigo vacinou. 96 anos. Só queria se fosse coronavac. Ideologia? Claro que não. Mal saiu do drive thru e ligou para o meu amigo: “Meu filho, conta 28 dias aí certinho e marca nossa passagem pro Mato Grosso que a gente vai pescar”. Quem pesca, tem pressa.

E eu aqui, preocupada que estou quase com quarenta e nem virei adulta padrão, nem ganhei na mega sena, nem tenho rendimentos na bolsa, nem vacinei.

Quando estes sábios adultos relatados acima estiverem imunes com a segunda dose, vou chamar a vovó pra ir ao mercado comigo. Vamos comprar cerveja pra gente beber com a dona Angelina e ainda vou levar toda essa turma para pescar no Mato Grosso e me acalmar, afinal, gente de 40 é muito ansioso. Não entende que a vida começa aos 80, 90, 100.


*@revarandas escreve às terças-feiras, a cada duas semanas. É uma das organizadoras do Podcast Vida de Adulto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *