Nova edição do Podcast é sobre Fé em tempos de pandemia

Ilustração de Elízeo Hamu para retirar Fé
Ilustração: Elízeo Hamu

Entender e não conseguir traduzir em palavras.
Acreditar sem provas.
Confiar sem garantias.

Por isso, às vezes, a fé chega a falhar e fica perdida.
Porque não há um contrato de fé.

Mas, uma vez sentida, a fé ajuda a atravessar o caminho do qual não se pode desviar. Então quando bate a descrença pode recomeçar ou começar uma busca por essa força capaz de mover montanha. Uma busca individual. A fé não pode ser criada, transferida ou emprestada. Ou sentimos ou não. A fé pode não se fazer presente, mas estar em todo lugar. 

A fé pode nos alcançar pelas mãos em prece ou num sopro da natureza.
A fé pode ser encontrada quando o homem se ajoelha e não consegue mais se convencer pela razão.
A fé pode aparecer quando se cansa de duvidar.
A fé pode entrar na vida quando todo o resto perdeu o sentido e a matéria já não preenche o vazio.
A fé pode surgir quando não há mais nada a se fazer, 
ou a fé pode, justamente, começar quando ainda há tudo a ser feito.

As religiões nos ensinam sobre a fé, mas ela também pode ser vivenciada indivualmente. 

Fé em Deus
Fé na própria vida
Fé em algo superior
Fé na própria fé
Fé no hoje
Mas, talvez, a maior prova de fé no hoje seja continuar acreditando no ser humano, na humanidade e no que virá.

É sobre fé em tempos de pandemia a mais recente edição do podcast do Vida de Adulto.

Com apresentação e produção de Renata Varandas e Mariana Londres e textos comentados de Alessandro Saturno, Lucianne Moreira e Luciana Galdino do @esposadotrecho.

Toda a terceira temporada do podcast do Vida de Adulto tem como base os textos do nosso primeiro e-book: “Afetos em quarentena – escrita curativa em tempos de pandemia“. 

Já conhece o Podcast do Vida de Adulto? Escute aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *